04 maio 2012

Palavra de Moysés Azevedo na Missa de Corpo Presente de Reinaudi


Não devemos duvidar nunca do alcance que tem a vida de um jovem ofertada.
[mantido o tom coloquial]
Caríssimo Dom Orani que nos consola com a sua presença e nos faz contemplar ainda mais forte o exemplo e a imagem do Bom Pastor...
Hoje como dom orani nos falou tão vivamente, tão fortemente, nada mais providencial do que estarmos aqui nesta celebração do Bom Pastor. O Evangelho diz: ‘Ninguém me tira a vida, sou eu quem a dou livremente. E nós podemos ver e testemunhar que livremente e amorosamente o Reinaudi pode corresponder ao amor de Deus na sua vida.
Reinaudi conheceu a Comunidade Shalom no Renascer de 1999. Ali começou a se engajar no grupo de oração e na obra. Em 2001, entrou na comunidade de aliança. Depois, em 2002, atraído pelo amor divino, pela misericórdia do Bom Pastor, como um jovem cheio de vida e ardor, resolveu dar os seus melhores perfumes: entrou na comunidade de vida em 2002, fez o seu postulantado em Fortaleza, depois fez o seu discipulado em Pacajus, em 2003. Em seguida, foi para a missão de Teresina, ali passou cerca de 4 anos. Depois foi para a missão de Propriá, em Sergipe, onde passou um ano, e depois, consultado pela Comunidade - porque esses envios para missões mais distantes, a Comunidade consulta os irmãos - se ele estava disposto a testemunhar a ressurreição de Cristo em Argel, na Argélia, ele livremente, alegremente, cheio de ardor e entusiasmo como era próprio do coração dele, disse sim e desde 2010 ele ali ficou.
“Ninguém me tira a vida, sou eu que a dou livremente.” Por isso mesmo que envolvidos na dor, nós somos envolvidos aomesmo tempo na dignidade de Cristo e no mistério da cruz e da ressurreição de cristo e numa certa e misteriosa alegria pascal, porque podemos pela experiência e o testemunho que vivemos, sentir o odor do perfume de Cristo, da santidade de Cristo na vida do Reinaudi.
Bruscamente retirado do meio de nós, mas dentro de uma sabedoria e um desígnio de Deus que nos ultrapassa completamente, dará frutos fecundos, frutos abundantes, frutos que vão além do que nós podemos imaginar e compreender, como dizia belamente a Emmir, nossa Cofundadora na carta que vocês devem ter lido na missa de sétimo dia.

A Páscoa de Reinaudi produzirá frutos talvez no país onde morou, frutos talvez como primeiro missionário da Comunidade de Vida que se oferta e assim faz sua páscoa no exterior, frutos na Jornada Mundial da Juventude desta Igreja de quem ele é filho – Rio de Janeiro – na qual como semente o seu corpo será plantado, nesta terra, frutos muito além do que nós podemos imaginar. Frutos na sua família humana, frutos na sua família espiritual, que somos nós, frutos na Igreja, frutos na humanidade.
Nós só podemos dizer muito obrigado, nosso Senhor, por nos dar essa pérola, por nos dar esse tesouro, que na sua simplicidade, nos seus sorrisos francos, na sua alegria, no seu ardor de jovem nos convida, nos questiona sobre o sentido profundo da vida e da felicidade – Sim a eternidade, o que não passa.
Reinaudi viveu com os olhos na eternidade, e por isso a eternidade se manifesta forte nesse momento em que ele passa dessa vida para o Pai. E cheios de gratidão nós dizemos: obrigado a nosso senhor Jesus Cristo. Obrigado à família: obrigado seu Francisco, obrigado dona Socorro, obrigado Theo, porque a oferta dele também é de vocês e isso não passa despercebido aos olhos de Deus. Obrigado a essa Igreja do Rio de Janeiro, obrigado Dom Orani, porque ele é filho dessa Igreja, e foi como discípulo de Cristo nesta Igreja que ele partiu em missão para o exterior. Obrigado à Comunidade Shalom do Rio de Janeiro, por dar esse precioso fruto à Comunidade, à Igreja, à humanidade.
    
Muito obrigado, digo isso em nome da Comunidade, mas digo isso em nome do Senhor. E que a Páscoa do Reinaudi hoje nos convide a sermos esse testemunho alegre e feliz da Ressurreição de Cristo, porque é esse testemunho que transforma o mundo, que transforma os nossos corações, que transformará ainda mais essa cidade e o mundo inteiro. Que a virgem Maria, nossa mãe, mãe do Reinaudi, mãe da Igreja, mãe da comunidade, permaneça junto conosco e nos sustente na fé e na fortaleza, dando e continuando a dar frutos de verdade e santidade no coração da Igreja e no coração do mundo.
Reações:

1 comentários:

  1. FICO MUITO TRISTE P SABER Q PERDEMOS EM NOSSO MEIO ALGUEM TÃO ESPECIAL E DE ALEGRIA TÃO CONTAGIANTE COMO REINALD, PORÉM FELIZ P TER TIDO TAMBÉM A HONRA DE SER CONTAGIADA P TAMANHO AMOR E FELICIDADE Q ELE TRAZ CONSIGO... QUERO TAMBÉM DIZER O MEU OBRIGADA A ELE E A DEUS P TER NOS DADO A FELICIDADE DE CONHECE-LO.

    ResponderExcluir